English Spanish Portuguese French German Kreyol

 

Chamada de Artigos (Trabalhos)

Associação para Estudos Globais da Diáspora Africana
10th Conferência Bienal
The College of William & Mary
Williamsburg, Virginia

 

Recordação, Renascimento, Revolução:
O Significado da Liberdade no Mundo Africano ao longo do tempo e espaço

5-9 de Novembro de 2019

O ano de 2019 marca os quatrocentos anos das origens da escravidão no que se tornou os Estados Unidos com a chegada de aproximadamente vinte africanos na atual Jamestown, Virgínia, em agosto de 1619. Descrito em registros ingleses como “ums vinte” Negros, esses cativos da Africa Central Ocidental refletiam a crescente intensidade do comércio translatlântico de escravos, a maior migração forçada do mundo que conectava a África, a Europa, as Américas, o Caribe e a Ásia. Esse sistema global de migração, escravização, e opressão foram o fator crítico para a contrução do mundo moderno. Em todo o mundo Negro, infelizmente, a emançipação das pessoas escravizadas não resultou em plena liberdade. Além disso, décadas de dominação colonial européia em todo o mundo, especialmente no continente Africano, obstruiu ainda mais as pessoas de ascendência Africana na economia política global, com um impacto contínuo nos dias atuais.

A África é o berço da humanidade e, sob uma multiplicidade de circunstâncias, os descendentes de africanos se dispersaram e migraram para todos os cantos do mundo. Essas numerosas diásporas africanas são marcadas diferentemente por movimento (in)voluntário, servidão, comércio, objetivos militares/imperiais, e ambições culturais, acadêmicas e profissionais. Essa compreensão mais ampla fornece novas oportunidades para apreciar plenamente as histórias complexas e culturas criativas das muitas diásporas africanas de hoje. Apesar das vastas diferenças entre e dentro da diáspora Africana contemporânea em todo o mundo, continuam a existir amplas semelhanças de marginalização, exclusão e privação material relativa para afro-descendentes em suas respectivas sociedades. O mundo contemporâneo tem visto um ressurgimento flagrante do racismo, da xenophobia, da homofobia, e outras formas de intolerância dirigidas às comunidades afro-descendentes e outras socialmente construídas como “outras.” Mas, apesar do horror do passado e do presente, os descendentes de africanos e de todo o mundo sobreviveram e prosperaram, lembrando-se do seu passado e repensando seus futuros de maneira que continuam a lutar pelo renascimento, pela liberdade e pela revolução no mundo contemporâneo.

A ASWAD convida para submissões de bancas e de trabalhos individuais de sua 10th conferência bienal a ser realizada em Williamsburg, VA (EUA), de 5-9 de Novembro de 2019 no campus do College of William and Mary para discutir, examinar e refletir sobre os legados de escravidão e significado(s) de liberdade para afrodescendentes em nível nacional e global no quatrocentos anos das origens da escravidão no que se tornou em os Estados Unidos. Também buscamos documentos que questionem as muitas outras diásporas que começaram (e continuam) na África e ainda continuam a florescer na Europa, Ásia, Oriente Médio, América do Sul e Central, Caribe e nas bacias do Pacífico / Oceano Índico. Estamos particularmente interessados em painéis e artigos sobre os temas de conferência, renascimento e revolução nas muitas diásporas africanas ao longo do tempo e do espaço. No entanto, encorajamos artigos de qualquer período de tempo e tópico relacionado ao estudo dos descendentes de africanos.

Como uma organização interdisciplinar, a ASWAD convida apresentações que iluminam a vida de africanos e afrodescendentes de estudiosos de qualquer disciplina, incluindo humanas, ciências sociais, artes cênicas, educação, ciências físicas, ciências da vida e da saúde, engenharia e ciência da computação. Nosso objetivo é colaborar com comunidades ativistas e intelectuais em torno do diálogo sustentado envolvendo a diáspora negra e o significado da liberdade através do tempo e do espaço, e os legados históricos e contemporâneos da escravidão.

Além de acadêmicos, a ASWAD recebe artistas, ativistas, jornalistas e estudiosos independentes com interesses específicos em uma ou mais das muitas diásporas africanas. Estamos especialmente interessados em moldar e melhorar as colaborações entre acadêmicos, estudiosos independentes e membros da comunidade.

Encorajamos propostas que se alinham ao tema da conferência. Os temas de painéis sugeridos incluem, mas não estão limitados ao seguinte:

  1. Escravidão, abolição e reparações
  2. Liberdade, resistência e revolução
  3. Década Internacional das Nações Unidas para os Afrodescendentes, 2015-2024
  4. Importância de recordar o ano de 1619
  5. Humanitarismo e Direitos Humanos em todo o mundo africano
  6. Feminismos Diaspóricos, Mulheres, Meninas e África Global
  7. Economia Política, Globalização, Migração e Diáspora Africana
  8. Religião, poder e praxis na diáspora africana
  9. Música, performance e ativismo cultural na África e no mundo negro
  10. Famílias, Comunidade e o Mundo Negro
  11. O Estado, a cidadania e a sociedade civil
  12. Vidas Negras Importam, Reaja ou Será Morta, Reaja ou Será Morto; Encarceramento em massa, violência do Estado e resistência em todo o mundo africano
  13. Diásporas Negras Queeres e Pessoas Negras LGBTQ
  14. Nacionalismo Branco, Racismo, Xenofobia e o Mundo Negro Contemporâneo
  15. O Chesapeake e a Diáspora Africana
  16. Comida, Saúde, Bem-Estar e África Global
  17. Meio Ambiente, Mudanças Climáticas, Sustentabilidade e o Mundo Africano
  18. Mídia, Representações e Pessoas Negras
  19. Literatura e Tradução da Diáspora Africana e Identidades Negras
  20. Mídias Sociais, Mediações Eletrônicas, Mobilidades Digitais e Conectividades Tecnológicas você.
  21. Comunidades diaspóricas no mundo asiático / Pacífico: China, Índia, Japão, etc.
  22. Esportes e Atletas Negros
  23. Temporalidade, memória e a diáspora africana
  24. Pedagogia, Ensino Superior, Comunidade e Ativismo
  25. Organização do trabalho em contextos locais e transnacionais
  26. Europa negra
  27. Geografias, espaço e lugar
  28. Futuros Diaspóricos Africanos: Desafios e Oportunidades
  29. Diásporas do Comércio de Escravos Pré-Atlânticos
  30. Comunidades diaspóricas no Oriente Médio
  31. Diásporas de Comércio, Trabalho e Migração Econômica
  32. Diásporas Profissionais / Educativas
  33. Diásporas Culturais e Étnicas Identificadas (ou seja, diásporas Iorubás)
  34. Mesa Redonda “O Estado de Campo”

 

Informações sobre Excursões

A conferência levará os participantes para fora do ambiente acadêmico e para as comunidades locais da Virgínia. Os participantes da conferência visitarão locais proeminente históricos e participarão de eventos comunitários, como o “Dia da Memória” em Point Comfort, o primeiro local de desembarque dos africanos em 1619. Eles visitarão Fort Monroe, o local de libertação de 100.000 negros que escaparam da escravidão durante a Guerra Civil; locais da Ferrovia Subterrânea e comunidades quilombolas de escravos fugidos; o Nat Turner Trail e o Oak Emancipation da Hampton University. A conferência coincide com um Festival de Gastronomia da Diáspora Africana, a ser realizado em Williamsburg de 8 a 10 de novembro de 2019. Apresentando pratos e culturas africanas, caribenhas, sul-americanas, afro-americanas e nativo-americanas, o Festival fala sobre a natureza diaspórica da conferência da ASWAD. A conferência da ASWAD concluirá com uma visita à histórica Jackson Ward de Richmond, exibindo arte visual de 1619 no Museu de Belas Artes de Virgínia e no Museu de História e Cultura de Virgínia e uma recepção final no Instituto de Arte Contemporânea da Virginia Commonwealth University.

 

Instruções para Submissão de Projetos

Todos os apresentadores da conferência da ASWAD devem ser membros da ASWAD. Para participar ou renovar, por favor clique aqui: https://aswad.memberclicks.net/

Todas as Propostas de mesas serão priorizadas no processo de revisão. Por favor, envie uma proposta de mesa com no máximo 200 palavras para mesas temáticas que consistam de não mais do que quatro apresentadores e um possível debatedor. As propostas devem incluir sumários de no máximo 150 palavras e biografias com no máximo 50 palavras para cada apresentador. Todos os participantes devem ser membros do ASWAD em situação regular no momento da submissão de sumários. O prazo final para as propostas de mesa/projetos é 1º de fevereiro de 2019 e a notificação de aceitação é esperada para 1º de abril de 2019. A confirmação da participação e o registro da conferência paga são necessários até 15 de maio de 2019.

 

Sessões de Orientação

A ASWAD 2019 também contará com sessões especiais de orientação abertas aos participantes registrados da conferência (os detalhes de inscrição serão publicados posteriormente).